Procura-se um Venerável

Imprimir
Categoria: Cultura Maçônica Publicado em Sábado, 07 Setembro 2013

Não precisa ser perfeito, mas que não seja medíocre. Não precisa ser Grau 33. Basta ser Mestre Maçom, gostar de aprender, e ter imensa vocação para ensinar, principalmente por seus exemplos. Não precisa ser eloqüente tribuno, mas deve falar, calar e agir certo nos momentos certos. Precisa saber sorrir e não ter pejo de chorar pela infelicidade e dor alheia. Deve conhecer e reconhecer suas limitações e fazer de tudo para superá-las.

Procura-se um Venerável, com disposição indomável para combater, sem tréguas, o vício, a corrupção, o crime, o lucro fácil e suas próprias ambições pessoais. Que seja sempre encontrado ao lado dos enfermos, fracos e famintos de pão e justiça. Que respeite seu próximo, independentemente de cor, posição social, credo ou idealismo político. Que respeite e preserve a natureza e os animais.

Procura-se um Venerável, para amparar e ouvir seus Irmãos, guardando como segredo de confissão suas fraquezas, mas enaltecendo para todos suas virtudes. Precisa gostar e conhecer, profundamente, Liturgia e Ritualística, combatendo o obscurantismo, a intolerância, o fanatismo, as superstições, os erros, as más lendas e invencionices maçônicas.

 

 

Não precisa ser perfeito, mas que não seja medíocre. Não precisa ser Grau 33. Basta ser Mestre Maçom, gostar de aprender, e ter imensa vocação para ensinar, principalmente por seus exemplos. Não precisa ser eloqüente tribuno, mas deve falar, calar e agir certo nos momentos certos. Precisa saber sorrir e não ter pejo de chorar pela infelicidade e dor alheia. Deve conhecer e reconhecer suas limitações e fazer de tudo para superá-las.

Procura-se um Venerável, com disposição indomável para combater, sem tréguas, o vício, a corrupção, o crime, o lucro fácil e suas próprias ambições pessoais. Que seja sempre encontrado ao lado dos enfermos, fracos e famintos de pão e justiça. Que respeite seu próximo, independentemente de cor, posição social, credo ou idealismo político. Que respeite e preserve a natureza e os animais.

Procura-se um Venerável, para amparar e ouvir seus Irmãos, guardando como segredo de confissão suas fraquezas, mas enaltecendo para todos suas virtudes. Precisa gostar e conhecer, profundamente, Liturgia e Ritualística, combatendo o obscurantismo, a intolerância, o fanatismo, as superstições, os erros, as más lendas e invencionices maçônicas.

Procura-se um Venerável, que não encerre os trabalhos por "Um só Golpe de Malhete", para não golpear a egrégora da Loja. Que faça Pompas Fúnebres para os Irmãos que partiram para o Oriente Eterno, que faça adoção de Lowtons, Loja de Mesa, Confirmação de Casamento e Sessões Magnas Cívicas com a presença de profanos, para difundir o ideal maçônico, e que respeite a soberana decisão da Loja e dos Altos Corpos Maçônicos.

Procura-se um Venerável, não precisa ter alto status, mas tem que estar despido de todas as vaidades. Que seja ponte de união entre Lojas, Irmãos e profanos, e nunca espinho de discórdia. Pode já ter sido enganado, mas não pode nunca ter enganado. Deve saber perdoar e saber pedir perdão.

Procura-se um Venerável, não precisa ser financeiramente rico, mas não pode ser espiritualmente pobre. Precisa ser puro de sentimentos e deve ter como grande ideal de sua vida, a maçonaria. Deve prestar auxílio aos Irmãos visitantes e fazer com que os mesmos se sintam como se estivessem em suas Lojas.

Procura-se um Venerável, para incentivar a presença e o trabalho filantrópico de cunhadas e sobrinhos. Que se preocupe com a educação profana e maçônica dos sobrinhos de hoje, que deverão ser os maçons de amanhã.

Procura-se um Venerável, que não dê valor a parâmetros luxuosos. Que goste mais do encargo do que de cargos e pompas, mas que desempenhe com abnegação e fidelidade todos os encargos de tão nobre cargo. Que ao término do seu mandato prefira ser Cobridor Externo, em vez de Venerável de Honra. Pode ser eleito pela primeira vez e admite-se até que, se reeleito, não tenha sede de perpetuar-se no poder.

Procura-se um Venerável, que imitando o apóstolo Pedro, seja e ensine a seus Mestres a serem pescadores de homens no mundo profano.

Procura-se um Venerável, que goste de ser chamado de Irmão e que realmente sinta em seu coração toda a vibração e plenitude do que é ser um verdadeiro Irmão.

Procura-se um Venerável, que não viva preso às lendas e histórias da maçonaria do passado, mas que escreva a mais bela página da maçonaria do presente.

Procura-se um Venerável, que nos abrace por T\V\T\, sorrindo, chorando ou enxugando nossas lágrimas, para termos a inabalável certeza de que a maçonaria é, realmente, a imaculada Escada de Jacó, que eleva o homem da Pedra Bruta à presença da mente cósmica universal.

P.S. - Os interessados que julgarem aptos para tão árduo encargo e nobre missão, por favor, apresentem suas aspirações, plataformas de trabalho e comprovantes de boas atividades maçônicas, na Ordem e no mundo profano, no Saco de Propostas e Informações da Loja.

(Autor desconhecido)

 

Acessos: 4040

 

Caros IIr.'.

Pensamento maçônico internacional, onde diz: - para se unirem basta seguir os rituais centenários da maçonaria e serem verdadeiros maçons.
A Maçonaria somos nós, e ela somente será grande se nós formos pessoalmente grandes. Não esperamos encontrar na maçonaria o que não encontramos dentro de nós mesmos. Nada poderá ser maior do que a soma da grandeza de seus componentes.
(Extraído do livro: Antologia Maçônica de Ambrósio Peters)

Online

Temos 57 visitantes e Nenhum membro online