Maçons com "eme" Maiúsculo

Imprimir
Categoria: Destaque Publicado em Sábado, 21 Setembro 2013

Deixando de lado os aspectos econômico-sociais, definimos corporativismo como sendo  a defesa intransigente de uma determinada pessoa ou grupo, na salvaguarda dos seus membros e interesses. Esta defesa pode acontecer no campo político, racial, religioso, etcetera.

Esta tutela é exercida pelo grupo de modo que suas opiniões e procedimentos devam sempre prevalecer, não se admitindo posições contrárias.

Mas na Ordem Maçônica existe corporativismo? Infelizmente esta praga foi introduzida no nosso meio.

Este fenômeno é mundial e contribuem para a materialização deste problema: as eleições, período em que determinado grupo tenta se perpetuar no poder, e a vaidade humana, uma das chagas que assola a nossa Instituição.

A primeira cisão na chamada Maçonaria Moderna se deu no ano de  1751, com a fundação da Grande Loja da Inglaterra ou Grande Loja de York, intitulada de  “antigos”, contrária a Grande Loja de Londres, cujos membros foram chamados de “modernos”. Esta divisão foi superada sessenta e dois anos depois com a unificação das duas Potências, gerando a atual Grande Loja Unida da Inglaterra.

O corporativismo leva, inexoravelmente, a quebra da harmonia maçônica. Irmãos começam a se digladiar esquecendo princípios basilares da boa vivência. Agressões verbais são verificadas, ocorrendo, em alguns casos, ofensas físicas.

Desrespeito a hierarquia é observado. Irmãos para fazerem prevalecer seu juízo ou sentimento atacam autoridades maçônicas, demonstrando falta de condições de exercer com plenitude seu ofício de Mestre Maçom.

Companheiros que não sabem viver em sociedade, não admitindo opiniões antagônicas, devem repensar sua condição de Maçom, com eme maiúsculo.

Estar Maçom é um direito adquirido ao se  cumprir certas exigências legais,  porém, ser Maçom é um estado de espírito que não se harmoniza com o corporativismo.

A Maçonaria não é um clube onde os fins justificam os meios. A Maçonaria é uma escola de líderes, onde princípios como tolerância, respeito ao próximo e fraternidade devem sobrepor qualquer interesse pessoal.

Onildo Almeida

Grão Mestre adjunto do GOPB

 
Acessos: 2492

 

Caros IIr.'.

Pensamento maçônico internacional, onde diz: - para se unirem basta seguir os rituais centenários da maçonaria e serem verdadeiros maçons.
A Maçonaria somos nós, e ela somente será grande se nós formos pessoalmente grandes. Não esperamos encontrar na maçonaria o que não encontramos dentro de nós mesmos. Nada poderá ser maior do que a soma da grandeza de seus componentes.
(Extraído do livro: Antologia Maçônica de Ambrósio Peters)

Online

Temos 40 visitantes e Nenhum membro online